sábado, 24 de abril de 2010

como está o meu cabelo?

não será hoje, por causa de algumas coincidências malucas que me serviram de aviso prévio para uma possível (provável) merda.
mas novamente aquele cansaço visual, aquela vontade irrefreável de mudar por fora pra ver se causa algum efeito aqui dentro.
quanto menos eu me poupo na aparência, menos eu me poupo nas atitudes. e isso até seria pouco se ultimamente eu não estivesse passando por tantos cabelos e roupas diferentes.
mas estou.
e ainda mais: não tanto quanto eu gostaria.

todos aqueles fios no chão do banheiro e a tesoura empunhada na mão, me tornam um Sweeney Todd auto-crítico. e só paro de cortar e cortar e cortar quando um estalo quase divino me alerta do que estou fazendo.

tenho o Sansão e a Dalila, ao mesmo tempo em uma só mão.
mas ao contrário do mito grego, quanto mais eu corto meu cabelo, mais sinto um poder invejável até por mim mesma.

até o final do ano ele finalmente muda de cor.
mas de tamanho? a qualquer minuto, quem sabe...

para uma mulher, importante.
para mim, uma metáfora.

2 comentários:

Malu Paixão disse...

kkkk ótimo mari;
cuidado mesmo com a tesoura pq ela é um monstro sedutor q engana a gente haha;
o dia em q eu nao tiver mais cabelo, procuro uma terapia.
rebeldia adolescente!! uhuuulll kkk
adorei! bjão

Vinicius A. Amaral disse...

Nirvana da tesoura:
"O senhor por favor pegue essa tesoura e corte minha digníssima pessoa ao meio" (Augusto dos Anjos, Nirvana)