segunda-feira, 22 de março de 2010

Flâneur

quanto menos rumo certo, melhor
o andar pelo andar
o culto ao ato e não ao objetivo
durante anos andaria
até meus pés protestarem e tomarem vida propria, andaria
assistir auroras e véus
carruagens e amoreiras
cantos e luzes e cores
e tudo que houver nesse mundo
durante anos andaria
passando os dias entre albergues e as noites entre estradas
e às vezes, vice-versa
trocaria o certo pelo duvidoso
isso me agrada
eu vou cheirar flor
me transfigurando, pouco a pouco, em uma alma errante
a vagar sem rumo vendo véus e auroras
amoreiras e carruagens
luzes e cantos e cores
e o mundo que houver nesse tudo
durante anos andaria