segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Desfrag(drops de)mentos

Quero aprender a diferenciar os passarinhos que andam dos que pulam. Reconhecer já de longe, ao invés de esperá-los pousarem e se locomoverem no chão para saber.

Quero aprender a dizer ao menos uma frase em todos os idiomas do mundo. Incluindo sânscrito e todos os dialetos das tribos africanas.

Quero aprender a fazer um nó de gravata, bem certinho. E também uma arte marcial, ainda a escolher. Talvez até duas.

Quero aprender um truque de mágica, desses bem bons.

Quero decorar o nome dos principais deuses nórdicos e egípcios.

Quero patinar no gelo. Mas pode ser em um chão bem lisinho, como de um supermercado (só que sem as prateleiras, é claro).

Ainda quero pichar um poema em um lugar bem grande e visível - pode ser a parede de um Congresso ou qualquer estabelecimento político.

Ainda junto dinheiro para montar uma coleção de camisetas com estampas que eu fizer. E usá-las sempre.

Quero, um dia, ter um estoque de cheirinhos com minhas essências preferidas: gasolina, esmalte de unha, tinta de parede, carro novo e desinfetante de eucalipto.

Quero aprender a fazer todas as coisas que mais gosto de comer.

Quero sair um dia pela rua e recolher todos os lixos que encontrar pela frente. Depois, fazer algum tipo de arte tosca com eles.

Quero também tirar alguns dias para fazer tudo que faço, na rotina mesmo, mas fotografar tudo que der vontade.

Quero, um dia, participar de alguma manifestação política ou ambiental. Ou até criar uma.

Quero ainda montar meu pequeno kit de sobrevivência, bem completo (porém sucinto) e andar sempre com ele.

Quero aprender a manusear alguns tipos de armas de fogo.

Quero ter uma katana afiada em meu quarto. E saber usá-la, da forma bonita que os samurais faziam.

Quero ler muitos dos principais clássicos da literatura mundial.

Ainda quero visitar todos os lugares onde morei, e passar um tempo me lembrando de como era antes, o que tinha, e algumas das coisas que aconteceram em cada cômodo.

Quero muito saber qual é o gosto daqueles marshmallows de filme americano. Com direito a acampamento, fogueira e talvez histórias de terror (um violão também serve).

Quero, um dia, subir bem alto em uma árvore e ficar lá em cima um tempinho, apenas flanando com o pensamento.



3 comentários:

Felipe Lacerda disse...

Podemos começar por partes. Nesse final de semana (pode ser domingo) a gente sobe numa árvore.

Fernando Lago disse...

Eu ainda não li Shakespeare.

(Foda-se)

Vinicius A. Amaral disse...

Bem, eu acho mais fácil decorar o nome dos deuses nórdicos e egipcíos...
É só ver a Múmia ou Thor...