sábado, 26 de dezembro de 2009

antes do fim

paunocu da minha retrospectiva de final de ano.
ela vai ficar pra depois.


e se você pensar que isso é uma indireta para você, pode pensar. e se faço isso é exclusivamente pelo desejo de não criar mais conflito.
pode ser que eu fique quieta,
ou que invente mentirinhas para não dizer alguma coisa que me irrita no momento.
e não digo somente exaustão física. mas exaustão de todo o excesso que agora me cerca e me deixa sem ar.

tudo isso é para dizer que eu mudei.
mudei.
todos mudam, e eu mudei. não sei dizer o que mudou ou em que exato tempo isso aconteceu, mas aconteceu e é um processo irreversível.
irreversível porque sim, eu quero que assim seja.
de qualquer forma, não quero pedir que me aceite como sou, aceitação é péssimo.

mas a única coisa que posso dizer é que não vou deixar que os desejos de outros sejam superiores aos meus.
não vou sacrificar nada por causa disso, mas acredito que o que sacrifiquei não seja toda a tempestade que me veio de retorno.

no fundo, no fundo.
acho que nem mudei tanto assim, e o que veio à tona agora, é simplesmente aquilo que é.
o que é, o que deve ser e o que funciona.

algumas escolhas implicam renúncias, mas nem todas.
e eu queria que fosse assim.

Um comentário:

Natália Castanharo disse...

Concordo com tudo, em gênero, número e grau. Sorte pra vc.