terça-feira, 8 de setembro de 2009

bang bang

há muito tempo não escrevo nada por aqui...
e a desculpa nem poderia ser o abandono em favor do 'malícia no país das armadilhas' porque nem lá eu tô postando direito.


certas coisas não deveriam ser ditas. outras, porém, devem ser escarradas na cara de todos.
eu queria muito que o comandante Nogueira (aquele que tem permissão para voar) pudesse me levar para um canto qualquer em meu submundo de idealizações e pseudo-concretudes no qual me refugio e o qual uso de desculpa para qualquer deslize meu.


preciso me desvincular desse modo cuzão de viver e ir atrás daquilo que eu quero para a vida.
o medo de se estatelar com a cara em uma porta fechada não deveria impedir alguém que quer algo apenas difícil.


merda de cordas. enquanto algo qualquer me prender em um lugar, ainda que esse algo seja simplesmente o cômodo conforto, me sentirei inibida a dar qualquer passo. merda de cordas.


não é isso. tem algo errado com o agora. ele não pode ser assim.
ou melhor, o agora talvez realmente tenha que ser assim, mas tenho pouco tempo.
tenho pouco tempo e agora menos ainda. um segundo. dois. três. segundos se passam e eu não consigo suportar a minha quietude. sem pachorra para a quietude.


vinde a mim as oportunidades, vinde a mim a ração mastigada.
é disso que preciso? espero que não. pois se eu quiser algo além de defender causas hipócritas terei que matar o porco.
bang bang.
a caçada começou.

Nenhum comentário: