sábado, 8 de agosto de 2009

niño de mierda

cara, eu não quero mais saber.
você me arrancou de mim mesma com uma veracidade inconcebível. veracidade a qual não costumo permitir às pessoas que chegam assim do nada achando que tudo tá tranquilo o tempo todo.
mas eu te entendi, garoto. em um gole e um trago, finalmente te entendi.
você não vai mais fazer parte do meu coquetel diário de ilusões, não.
você não vai mais fazer parte de meu mundinho idealizado onde eu significo algo na vida das pessoas que me cercam e fazem alguma diferença na minha vida.
você é simplesmente um pedaço de merda.
e isso não é culpa sua, deixe eu me culpar e deixe eu me des-culpar o tempo todo porque é isso que as pessoas tolas fazem. na verdade, sim, eu sou mais uma dessas garotinhas na sua vida.
você vai me ter quando quiser? provavelmente sim.
e não vai ser necessário muito esforço para alcançar níveis de contato corporal do tipo em que não permitiria há algum tempo atrás a um cara tipo você.
I'll Go to Your Room but You Have to Seduce Me
e cara, você é bom nisso. você é bom e sabe exatamente o que fazer e o que dizer.
mas às vezes você erra feio. erra feio no sentido de "me deixa puta e eu vou para casa completamente desnorteada".
eu não sou do tipo que o leva à lona. talvez você já tenha um amor na vida. talvez você ainda irá encontrar.
mas eu finalmente percebi. eu não faço parte da sua vida.
isso me incomoda? muito. mais do que você pensa. mas vai passar. assim que eu encontrar um desafio maior que você.
foda-se.
eu só tô falando isso para deixar meu ego intacto. mas não adianta, ele já está estilhaçado.
na verdade é tudo mentira. ou tudo verdade. ou tudo. ou nada.
mas uma coisa eu te garanto.
eu sou a pessoa mais intensa que já cruzou seu caminho. e eu poderia ser a melhor ou a pior coisa que já aconteceu em sua vida, se você permitisse.
tudo em mim é o exagero, o turbilhão, o urro de desespero.
tudo em mim é tudo mas você escolheu ter o nada de mim. e se é assim, garoto, que você quer que seja, assim será.


Nenhum comentário: